Textos


GRATRAÇÃO
 
Eu não coloco fé
em superstição alguma.
Na maioria das vezes,
falta-me fé até na fé.
Onde pisar sem pé?
 
Mas peço proteção...
e tração
antes de entrar num atoleiro.
 
Mentalmente
  – tenho que manter as mãos na direção;
      manobra –,

cruzo dois dedos ao adentrá-lo
e faço mais uma figa atravessando-o
  – tenho que manter o sentimento no amuleto;
      mandinga –.

 
Deve funcionar.
 
Bato uma palma,
seguida de um sinal da cruz,
ao passá-lo com sucesso.
Solto alto um palavrão
agradecendo a benção.
Gratração.
 
Caso contrário,
um xingamento ao céu...
ao léu.
 
Que nunca me faltem
dedos para pôr em cruz...
na mente
  – já sou um aleijado de crença –

e essa tal de sorte,
que é mero detalhe mindinho,
de um dedo sutil e sujo...
calejado
de uma mão grande.





/-\|\||)/-\|_/-\(,)|_|||\/|
 
 
 
 
__________
#foto#
quando: 12/12/2020
onde: Uganda, Kambuga
por: Andalaquim
Andalaquim
Enviado por Andalaquim em 15/12/2020
Alterado em 15/12/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários