× Capa Textos Livro de Visitas Contato
Grilo Tritri
/-\|\||)/-\|_/-\(,)|_|||\/|
Textos
PROTAGOTISMO
 
Se na nuvem
há água…
 
Espere um pouco.
Espere um ponto.
Eu já fui para esse lado das reticências.
Permita-me,
agora,
ser dois pontos
seqüentes
.
.
.
cadentes.
O trema procria
ao cair.
 
Veio-me uma idéia aguda
– dessas de dar pontada –
de dar uma pontuada
e vi-me obrigado
a segui-la.
 
Se na nuvem
há água
e nisso
tem dois acentos agudos
seguidos,
é porque
já começou a precipitar.
E cada gota
gera quatro gotículas d’água oblíquas miúdas.
 
E de gotícula d’água oblíqua miúda
em gotícula d’água oblíqua miúda
forma-se a chuva,
com direito a um pingo irrelevante
e um apóstrofo no meio,
que se acha pomposo
pensando ser raio,
mas mal sai o som
de ribombo do trovão.
Ouve-se apenas um traço de ruído,
engolido pelo ponto
a que quero chegar,
em que o protagonismo
que

é
todo do rastro da gota,
que só o circunflexo
é capaz de deter.
Porém,
ele não apareceu
em lugar algum
até aqui.
A rotina
de deixar o guarda-chuva
por aí
e se abrigar
no primeiro telheiro
que se vê.
 
Choveu...
.
.
.
até encharcar o papel.
 
Mesmo assim,
deu tempo
– desses tempos que se vão –
de registrar o chuvisco de início,
antes do tempo
– desses tempos que se nuvem –
descarregar a chuva
quase que toda
num só momento e ponto

– era o ponto que eu via, ora,
e o momento que eu estendo até onde entendo, hora –,
ao que eu assisti
na providência
de um assento
antigo e esquecido,
pôsto num alpendre.





/-\|\||)/-\|_/-\(,)|_|||\/|




__________
#foto#
quando: 12/01/2014
onde: Brasil, São Bento do Sapucaí/SP
por: Andalaquim
Andalaquim
Enviado por Andalaquim em 26/08/2020
Alterado em 26/08/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários